Tudo Information

Duda Batista e Maria Fernanda Mallet estão no elenco da peça ‘A Diferença que a Diferença Faz’

Bullying, conflitos, amizade e reflexão são os temas principais da peça ‘A Diferença que a Diferença Faz’, que tem as atrizes mirins Duda Batista e Maria Fernanda Mallet entre as personagens.

Duda interpreta a personagem Ângela, uma menina de oito anos que tem baixa estatura, e por isso sofri bullying das amigas, inclusive de sua própria irmã que a explora por ser a menor da turma. Já Maria será Júlia, uma menina amorosa e carinhosa que está sempre pronta a abraçar e acolher todos à sua volta.

Na montagem, um grupo de crianças está no meio de um torneio de futebol escolar onde experimentam relações não muito amistosas. O musical infantil debate a valorização das diferenças nas relações sociais. Na peça, os pequenos vão do bullying à compreensão da importância da diversidade entre as pessoas. Acostumadas a se olharem torto e em tom de julgamento, as crianças praticam bullying entre si e as rusgas não tem fim. Mas tudo muda quando, num passe de mágica, num belo dia, as crianças acordam e se reconhecem como cópias umas das outras, com total ausência de diferença entre elas.

A peça “A Diferença que a Diferença Faz” estreia dia 07 de setembro e fica em cartaz até o final do mês, no Teatro dos Grandes Atores, na Barra da Tijuca.

Foto: Divulgação

Luca Moreira

Luca Rocha Moreira nasceu em Niterói – RJ, no dia 14 de maio de 1998. Descendente de família mineira por parte de mãe, é filho da funcionária pública Lucia Maria Rocha da Silva e do designer gráfico Luiz Carlos Falcão Moreira. Estudou a infância toda em rede particular de ensino e durante o ensino médio, cursou integração com técnico em engenharia naval pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage, unidade componente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, onde participou de diversos protestos relacionados ao grêmio estudantil.

Enquanto estava cursando a escola, iniciou um curso de interpretação teatral na Oficina Social de Teatro, onde teve seu primeiro contato com as artes cênicas, onde recebeu aulas do ator e professor Alécio Abdon, porém se retirou do curso por motivos de dificuldade em interpretar seus personagens. Ainda no segundo grau, montou uma página no Facebook, onde começou a falar de múltiplos assuntos, entre eles esportes, nutrição e cultura. Em março de 2016 foi descoberto pela produtora teatral Grazi Luz, dona da Fazart Produções Artísticas, quando recebeu seu primeiro convite para ser aprendiz de comunicação da companhia, ainda que com 17 anos.

Seu interesse pelo jornalismo teve início alguns meses após sair da produtora, quando começou a publicar artigos no “Almanaque Mídia” na época comandado por Esdras Ribeiro. Algumas semanas depois do fechamento do portal, foi abordado pelo jornalista brasiliano Daniel Neblina, que o convocou para integrar o time de colunistas do “RegistroPop”, onde despontou como entrevistador-chefe do veículo, foi aí que iniciou sua carreira como jornalista.