Tudo Information

Sucesso nas redes sociais “Cartas pra Pepita” vira livro

Mulher trans, carioca, comunicadora e funkeira, Pepita ganhou destaque nas redes sociais falando de amor e aceitação em um dos programas com maior audiência no Instagram, e tornou-se ícone de amor-próprio, com o programa “Cartas Pra Pepita”, onde conquistou o coração dos internautas e ganhou o título de “coach da autoestima” e uma das melhores psicólogas da internet”, dado por seus mais de 500 mil seguidores. Tanto sucesso fez com que Pepita ultrapassasse as barreiras da internet e, agora, se prepara para lançar seu primeiro livro “Cartas Pra Pepita”, com selo Monocó, que reúne várias histórias engraçadas, além de outras sobre amor-próprio, com alguns dos melhores conteúdos de cartas enviadas ao folhetim e respondidas pela comunicadora.

Símbolo da diversidade e ativista LGBTQIA+, Pepita quebra barreiras mais uma vez, sendo uma mulher trans que fala sobre amor e autoestima, uma vez que os transexuais ainda são alvos de muito preconceito e nem sempre se sentem amados.  No programa, ela aconselha seu público e dá pitacos em várias áreas da vida por meio de cartas lidas ao vivo, sem pudores e num tom bem humorado. Pepita recebeu mais de 2.000 cartas e respondeu quase 300 delas em cerca de 55 episódios do “Cartas Pra Pepita”.

“O programa é uma grande conquista e um passo importante para a bandeira da diversidade ganhar cada vez mais força. Agora lançar o livro potencializa esse alcance. A mulher trans muitas vezes não se sente amada, então não é comum falarmos de autoestima em uma sociedade que muitas vezes nos marginaliza. Fico imensamente feliz em quebrar esse paradigma com “Cartas para Pepita”, e poder trocar experiências e conselhos com pessoas de várias idade e sexo. Também é uma responsabilidade muito grande, e que eu faço com muita dedicação”.

O selo Monocó, da Editora Arole Cultural, focado em publicações de títulos e autores da comunidade LGBTQ+ e sobre a diversidade sexual, é coordenado pelos editores Diego de Oxóssi e Rayanna Pereira, e faz seu lançamento oficial e do livro “Cartas pra Pepita” durante a Bienal Internacional do Rio de Janeiro, no próximo 08 de setembro às 14h, no estande da Editora (pavilhão verde, R10).

Foto: Divulgação

Luca Moreira

Luca Rocha Moreira nasceu em Niterói – RJ, no dia 14 de maio de 1998. Descendente de família mineira por parte de mãe, é filho da funcionária pública Lucia Maria Rocha da Silva e do designer gráfico Luiz Carlos Falcão Moreira. Estudou a infância toda em rede particular de ensino e durante o ensino médio, cursou integração com técnico em engenharia naval pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage, unidade componente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, onde participou de diversos protestos relacionados ao grêmio estudantil.

Enquanto estava cursando a escola, iniciou um curso de interpretação teatral na Oficina Social de Teatro, onde teve seu primeiro contato com as artes cênicas, onde recebeu aulas do ator e professor Alécio Abdon, porém se retirou do curso por motivos de dificuldade em interpretar seus personagens. Ainda no segundo grau, montou uma página no Facebook, onde começou a falar de múltiplos assuntos, entre eles esportes, nutrição e cultura. Em março de 2016 foi descoberto pela produtora teatral Grazi Luz, dona da Fazart Produções Artísticas, quando recebeu seu primeiro convite para ser aprendiz de comunicação da companhia, ainda que com 17 anos.

Seu interesse pelo jornalismo teve início alguns meses após sair da produtora, quando começou a publicar artigos no “Almanaque Mídia” na época comandado por Esdras Ribeiro. Algumas semanas depois do fechamento do portal, foi abordado pelo jornalista brasiliano Daniel Neblina, que o convocou para integrar o time de colunistas do “RegistroPop”, onde despontou como entrevistador-chefe do veículo, foi aí que iniciou sua carreira como jornalista.