Tudo Information

Edyr Vaqueiro reúne jornalistas para falar do sucesso de seu novo trabalho

Edyr Vaqueiro é um daqueles artistas com talento de sobra, que investe igualmente nas duas carreiras e deixam os fãs até na dúvida: ele é, na verdade, cantor ou sanfoneiro? Mas ao receber a imprensa nesta terça-feira, dia 2, no Grill Hall Prazeres da Carne, na Vila Clementino, em São Paulo, o potiguar mostrou que é plural, um verdadeiro sucesso. A mistura de simplicidade e agitação o levou das vaquejadas e exposições de animais a baladas e até festas na praia. Prova disso é que já dividiu o microfone com as bandas Garanhões do Forró, Forró Cavalo de Aço, Pegada Forrozeira e Forró Pé de Ouro e ultrapassou a impressionante marca de 300 mil visualizações do clipe da música “A Culpa é da Bebida”, que faz parte do repertório do recém-lançado álbum “Alô Meu Lord”. Simpático, interagiu durante toda a coletiva com os jornalistas, relembrou alguns hits e falou da agenda de shows cada vez mais lotada. Quando questionado sobre seus ídolos e inspirações, não hesitou em viajar pelo tempo e citou a dupla Sirano e Sirino e o cantor Mano Walter, outro ícone do forró.

Fotos: Márcio Pereira

Luca Moreira

Luca Rocha Moreira nasceu em Niterói – RJ, no dia 14 de maio de 1998. Descendente de família mineira por parte de mãe, é filho da funcionária pública Lucia Maria Rocha da Silva e do designer gráfico Luiz Carlos Falcão Moreira. Estudou a infância toda em rede particular de ensino e durante o ensino médio, cursou integração com técnico em engenharia naval pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage, unidade componente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, onde participou de diversos protestos relacionados ao grêmio estudantil.

Enquanto estava cursando a escola, iniciou um curso de interpretação teatral na Oficina Social de Teatro, onde teve seu primeiro contato com as artes cênicas, onde recebeu aulas do ator e professor Alécio Abdon, porém se retirou do curso por motivos de dificuldade em interpretar seus personagens. Ainda no segundo grau, montou uma página no Facebook, onde começou a falar de múltiplos assuntos, entre eles esportes, nutrição e cultura. Em março de 2016 foi descoberto pela produtora teatral Grazi Luz, dona da Fazart Produções Artísticas, quando recebeu seu primeiro convite para ser aprendiz de comunicação da companhia, ainda que com 17 anos.

Seu interesse pelo jornalismo teve início alguns meses após sair da produtora, quando começou a publicar artigos no “Almanaque Mídia” na época comandado por Esdras Ribeiro. Algumas semanas depois do fechamento do portal, foi abordado pelo jornalista brasiliano Daniel Neblina, que o convocou para integrar o time de colunistas do “RegistroPop”, onde despontou como entrevistador-chefe do veículo, foi aí que iniciou sua carreira como jornalista.