Tudo Information
Foto: Divulgação

“Os Filhos do Rei” é a nova dupla sensação da música sertaneja gospel no mercado nacional

A dupla “Os Filhos do Rei” é a sensação da musica sertaneja gospel no Brasil, e esta matéria vai retratar a historia na musica nacional e também, divulgar os seus novos projetos na imprensa brasileira, que acabou de fechar um contrato com uma agência de assessoria de imprensa, no segmento de celebridades, personalidades e artistas.

Somos de uma cidade chamada Igarassú – PE  Nascidos em uma família simples de 8 irmãos. Jeny – Jenildo – Genilson – Genilda – Geane – Gilvani – Junior  – Midian. criados desde cedo nos ensinamentos do caminho do Senhor. Quando criança, cantávamos em grupos infantis da igreja, crescemos louvando a Deus. Nossos Pais Pastor Jerônimo e Missionária Maria Luiza sempre nos falavam. Louvem a Deus em todo tempo. nossa querida mãe mulher de Deus. Mulher essa que Deus sempre usou pra nós, pra nos abençoar. Um exemplo de Esposa, Mãe, amiga, guerreira temente a Deus.

Hoje, quando penso em tudo o que passamos pareço não acreditar, para chegar até aqui. Só Deus que promete e cumpre com sua promessa. Hoje nem parece  quase 30 anos de carreira, quantas dificuldades e muitas histórias para contar.

Minha carreira com meu irmão Genilson iniciou em um conjunto chamado ( Os voluntários de Cristo) ainda muitos jovens eu convidei o Genilson pra cantar comigo músicas dos cantores. Canarinhos de Cristo. Irmãos Levitas. Tony e Tito. Zé Marco e Adriano. E outros.

Depois de alguns anos tivemos a oportunidade de fazer a nossa primeira gravação que era em fita K7. ali nascia o nosso primeiro sonho com o passar dos anos tivemos que trabalhar numa empresa chamada de Janga S/A uma empresa que Deus abriu as portas pra nós. Éramos operadores de máquinas eu trabalhei nessa empresa por 5 anos e 4 meses até que pra Deus poder cumprir a promessa nas nossas vidas teve que fechar as portas lá. Eu não reclamei pois sabia dos planos de Deus nas nossas vidas. Foi aí que surgiu a oportunidade de cantar no programa chamado caça talentos, em uma rádio do Recife, com locução do radialista Jobby Silva, um grande amigo, sempre incentivando a dupla. Ganhamos por várias semanas em primeiro lugar, foi quando surgiu a oportunidade de gravar o nosso primeiro CD o CD Volta pra mim com a regência do maestro Rerivaldo Lira, do Studio Re – Nascer.

Em 2003 tomei uma decisão, vim para São Paulo de carona em um caminhão. deixando para trás minha mãe, filhos parentes e o Genilson em Pernambuco.

Cristo me confortava e eu tive forças para me separar de minha família por este tempo; Qual era meu anseio? Receber meios para levar a palavra do Senhor e o Evangelho, através do louvor, é fato que a todos a quem a palavra de vitória é lançada e aceitam Jesus como único e suficiente salvador podem ser bem sucedidos em tudo que fazem, e eu tinha de tomar posse da benção e de todo o plano revelado em meu coração, de um ministério vitorioso!

Cantei por várias igrejas levando a palavra de Deus em minhas canções e enfrentando muitas dificuldades. Certo dia, recebi a ligação de meu irmão Genilson que manifestou a vontade de vir ao meu encontro. Juntos como quando crianças ֽ começamos uma maratona para a divulgação de nosso trabalho, mas não encontrávamos o apoio necessário muitos não acreditavam em nós. Cantávamos em uma Rua de São Paulo, a Conde de Sarzedas, conhecida por ser um pólo do comércio evangélico, ali cantei muitas vezes na calçada com o meu irmão, e um violão nas mãos, apesar de morarmos em um país democrático e hospitaleiro alguns não gostam do ritmo sertanejo como também do que a música evangélica fala então éramos humilhados.

Levados por um pastor que é nosso amigo, o Francisco, até a Igreja Mundial do Poder de Deus, fomos por ele avisados da prioridade da IMPD, a palavra, a oração, existe um povo que clama pelo favor de Deus a espera de um milagre, conseguir ir ao altar e cantar como uma apresentação é difícil, então fomos sem a intenção de cantar. Eu queria era conhecer pastores poder cantar nas igrejas. Encontramos ali o tecladista, hoje cantor da Banda Mundial Rogério Bonacuore que gostou de nosso trabalho, perguntou nossas origens e nos convidou a voltar no dia seguinte, para cantar, oh Glória! de tanta felicidade distribuímos uns cem CDs, nossa alegria era tamanha que, naquela noite não dormi.

Fomos pela terceira vez a IMPD, neste dia a reunião era com o Apóstolo Valdemiro Santiago. No final da reunião corri atrás dele, e para meu espanto ele me olhou e perguntou cadê o outro? chamei prontamente meu irmão, e o apóstolo nos fez um pedido que cantássemos para ele ouvir ali naquele momento, cantamos com nosso coração cheio de esperança e Fé, ele olhou pra gente e disse: venham cantar na reunião de domingo! Era o inicio de nossa trajetória na IMPD.

Nossa Igreja mãe através da IMPD tivemos o privilégio de viajar o Brasil inteiro por várias vezes. Durante 10 anos cantamos para milhões de pessoas em eventos pelo Brasil e o mundo e através da TV e rádios. Viajamos por vários países como África do Sul, Moçambique, Argentina, Paraguai, Angola, Portugal, Estados Unidos e Japão. Mais de 1.5 um milhão e meio de cds vendidos.

A discografia até o momento é:

1- CD Volta pra mim

2- CD A mão de Deus

3- CD Eh Deus poderoso

4- DVD As drogas matam

5- CD Mais que vencedor

6- CD O encontro

 

Luca Moreira

Luca Rocha Moreira nasceu em Niterói – RJ, no dia 14 de maio de 1998. Descendente de família mineira por parte de mãe, é filho da funcionária pública Lucia Maria Rocha da Silva e do designer gráfico Luiz Carlos Falcão Moreira. Estudou a infância toda em rede particular de ensino e durante o ensino médio, cursou integração com técnico em engenharia naval pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage, unidade componente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, onde participou de diversos protestos relacionados ao grêmio estudantil.

Enquanto estava cursando a escola, iniciou um curso de interpretação teatral na Oficina Social de Teatro, onde teve seu primeiro contato com as artes cênicas, onde recebeu aulas do ator e professor Alécio Abdon, porém se retirou do curso por motivos de dificuldade em interpretar seus personagens. Ainda no segundo grau, montou uma página no Facebook, onde começou a falar de múltiplos assuntos, entre eles esportes, nutrição e cultura. Em março de 2016 foi descoberto pela produtora teatral Grazi Luz, dona da Fazart Produções Artísticas, quando recebeu seu primeiro convite para ser aprendiz de comunicação da companhia, ainda que com 17 anos.

Seu interesse pelo jornalismo teve início alguns meses após sair da produtora, quando começou a publicar artigos no “Almanaque Mídia” na época comandado por Esdras Ribeiro. Algumas semanas depois do fechamento do portal, foi abordado pelo jornalista brasiliano Daniel Neblina, que o convocou para integrar o time de colunistas do “RegistroPop”, onde despontou como entrevistador-chefe do veículo, foi aí que iniciou sua carreira como jornalista.