Tudo Information

Bozzella lança Frente Parlamentar Mista dos Portos Nacionais na Câmara

Foi lançada nesta quinta-feira (4), na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar Mista dos Portos Nacionais, presidida pelo deputado federal Júnior Bozzella (PSL/SP).

A Frente contou com a presença de diversas autoridades do setor portuário, governo Federal e Congresso Nacional, entre eles o senador Major Olímpio, o diretor de Navegação e Hidrovias do Ministério da Infraestrutura, Dino Antunes, o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tercio, o presidente da Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), Jesualdo Conceição Silva, o presidente da Federação Nacional das Operações Portuárias (Fenop), Sérgio Aquino, o presidente do Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp), João Almeida, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Comercial de Carga do Litoral Paulista (Sindisan), José Luis Neiva, o presidente do Sindicato dos Estivadores de Santos e Região (Sindestiva), Rodnei Oliveira da Silva, o Nei da Estiva e o Capitão de Mar e Guerra do Litoral Paulista, Daniel Américo Rosa Menezes.

De acordo com o deputado Júnior Bozzella, o lançamento da Frente Parlamentar Mista dos Portos Nacionais é um marco no que se refere à discussão dos principais temas relacionados aos Portos do País.

“O setor portuário gera mais de 120 mil empregos diretos e indiretos e investiu mais de R$ 10 bilhões em melhorias no último ano. Atualmente, o porto representa cerca de 95% da corrente de comércio exterior que passa pelo País e movimenta, em média, 293 bilhões anualmente, o que representa 14,2% do PIB brasileiro. Os números falam por si e mostram a importância do setor portuário para a economia do Brasil. Por isso a necessidade de se ter um espaço no Congresso para discutir pontualmente as demandas e necessidades do setor, pois todas as definições afetam significativamente a economia do País”, diz.

O Brasil possui um total de 175 instalações portuárias de carga, desses 76 terminais estão localizados no interior, fora da região costeira, e 99 portos e terminais marítimos na área litorânea.

“O crescimento das exportações e, consequentemente da economia do País, passam pelo Porto. Os investimentos nos portos brasileiros atingiram o patamar mais baixo em 14 anos. No ano passado, foram investidos apenas R$ 175 milhões de um total previsto de R$ 660 milhões. O volume de investimentos, o modelo de gestão portuária, entre outros, são todas questões que precisam ser discutidas e revistas, e é isso que faremos na Frente Parlamentar Mista”, explica.

Segundo Bozzella, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, já se posicionou a favor da descentralização da gestão e de aumentar as atribuições das autoridades portuárias.

O diretor de Navegação e Hidrovias do Ministério da Infraestrutura, Dino Antunes, ratificou o compromisso assumido com o deputado de dar celeridade nas tratativas que envolvem a questão da definição de um novo modelo de gestão portuária para os portos nacionais.

“É fundamental ter o apoio do Legislativo na nossa atuação, assim garantimos mais agilidade aos processos e auxilio na conquista de melhorias para os portos brasileiros. O deputado Júnior Bozzella assumiu um protagonismo nessa questão.”

De acordo com o senador Major Olímpio, a Frente Parlamentar Mista dos Portos Nacionais é de extrema importância para o desenvolvimento portuário no país.

“Essa iniciativa do deputado Júnior Bozzella vai auxiliar na integração dos modais, vai trazer permanente a discussão dos assuntos que competem ao setor para a Câmara, vai dar uma nova dinâmica e auxiliar na resolução de questões importantes para o desenvolvendo econômico do Brasil”, disse o senador.

Ações pelo Porto na Comissão de Viação e Transportes

O deputado federal Júnior Bozzella (PSL-SP) também aprovou a criação da Subcomissão Permanente de Portos e Vias Navegáveis na Comissão de Viação e Transportes (CVT) na Câmara Federal.

O social liberal conseguiu ainda, a aprovação dos membros para a realização de audiência pública para debater os principais modelos de gestão de administração de portos brasileiros.

De acordo com o parlamentar, essa é uma grande conquista para o Brasil e para a Baixada Santista.

Bozzella ressaltou seu empenho na luta pelas questões portuárias.

“Além da subcomissão e da Frente Parlamentar, também criamos, antes mesmo do início do mandato, um conselho consultivo formado por especialistas e profissionais ligados ao setor para discutir as demandas e problemáticas que envolvem o maior porto da América do Sul e os demais portos do Brasil. Já fizemos diversas reuniões com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, com o secretário Especial de Portos, Diogo Piloni e o Ministro da Economia, Paulo Guedes, para levar esses apontamentos”, frisou.

Luca Moreira

Luca Rocha Moreira nasceu em Niterói – RJ, no dia 14 de maio de 1998. Descendente de família mineira por parte de mãe, é filho da funcionária pública Lucia Maria Rocha da Silva e do designer gráfico Luiz Carlos Falcão Moreira. Estudou a infância toda em rede particular de ensino e durante o ensino médio, cursou integração com técnico em engenharia naval pela Escola Técnica Estadual Henrique Lage, unidade componente da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro, onde participou de diversos protestos relacionados ao grêmio estudantil.

Enquanto estava cursando a escola, iniciou um curso de interpretação teatral na Oficina Social de Teatro, onde teve seu primeiro contato com as artes cênicas, onde recebeu aulas do ator e professor Alécio Abdon, porém se retirou do curso por motivos de dificuldade em interpretar seus personagens. Ainda no segundo grau, montou uma página no Facebook, onde começou a falar de múltiplos assuntos, entre eles esportes, nutrição e cultura. Em março de 2016 foi descoberto pela produtora teatral Grazi Luz, dona da Fazart Produções Artísticas, quando recebeu seu primeiro convite para ser aprendiz de comunicação da companhia, ainda que com 17 anos.

Seu interesse pelo jornalismo teve início alguns meses após sair da produtora, quando começou a publicar artigos no “Almanaque Mídia” na época comandado por Esdras Ribeiro. Algumas semanas depois do fechamento do portal, foi abordado pelo jornalista brasiliano Daniel Neblina, que o convocou para integrar o time de colunistas do “RegistroPop”, onde despontou como entrevistador-chefe do veículo, foi aí que iniciou sua carreira como jornalista.