Dentista fala sobre durabilidade das lentes de contato dentais na saúde bucal em tempos de coronavírus

Priscila Pocallet também recomenda lavar as mãos antes da escovação dental

Ciente da gravidade do cenário, calçada pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Crosp), Dra. Priscila Pocallet reuniu recomendações sobre medidas de prevenção e proteção da saúde bucal em tempos de propagação intensa do novo coronavírus.

“Em primeiro lugar, não podemos negligenciar a higiene bucal diária, que é essencial para evitar o surgimento de cárie, gengivite e mau hálito, além de problemas mais graves. A higiene deve ser feita com escova de cerdas macias e creme dental com flúor, e a limpeza entre os dentes requer o fio dental — se houver indicação do cirurgião-dentista, pode-se complementar com o uso do enxaguante bucal”, explica a dentista.

Priscila reitera que a escovação deve ser feita ao acordar, após as refeições e antes de dormir.

“Antes de realizar a higiene bucal, é importante sempre lavar as mãos até a metade do pulso e entre os dedos, por no mínimo 20 segundos. Não custa frisar: lavar frequentemente as mãos é uma das principais medidas para conter o vírus”, completa.

Uma boa higiene oral diária é um dos principais pré-requisitos para a durabilidade das lentes de contato dentais.

“Embora não forme cárie em revestimentos de porcelana, eles, normalmente, deixam algumas áreas do dente natural expostas e que são passíveis de lesões de carie Por isso, ao escovar bem os dentes, o paciente evita esse tipo de ocorrência. A frequência das escovações, inclusive, permanece a mesma indicada para dentes naturais: ao menos três vezes ao dia, com uso de escova de cerdas macias e fio dental. A única diferença é que o creme dental não deve ser abrasivo, à base de bicarbonato de sodio, para não danificar a porcelana e encurtar sua vida útil”, afirma Pocallet